Tapete – Coleção Marie Camille

Objetos
01-TAPETE

Tapetes por dez arquitetos mineiros – Coleção Marie Camille

Autor Bruno Campos
Ano 1999

Marie Camille é uma casa especializada na comercialização de tecidos de seda, forrações e tapetes destinados à decoração de interiores. Em 1998, 10 arquitetos foram convidados para desenhar uma coleção de tapetes exclusivos. Cada desenho recebeu uma variação de três cores, em três diferentes tamanhos (1,50 x 2,00 / 1,70 x 2,40 / 2,00 x 2,50). Dessa forma, uma das questões cruciais era um desenho, ou composição, que pudesse ter sua proporção ‘ajustada’ sem perder a harmonia.

No caso, as quatro manchas têm sempre sua relação de proporção constante em relação ao vazio. A mudança de orientação sutil de uma das quatro manchas (qual delas?) na superfície lisa do tapete brinca com nossa tendência de perceber certas simetrias, ao invés de outras possíveis. No caso, dependendo da mancha a ser ‘reajustada’ podemos ter uma composição concêntrica, centrífuga, longitudinal, transversal ou mesmo diagonal. O olhar rápido e desatento assume a simetria mais óbvia, e às vezes nem mesmo percebe o pequeno ‘erro’ de posição. A grande superfície sem desenho valoriza a qualidade da lã grossa e suas nuances de tom. Não deixa de ser divertido imaginar um caso hipotético (e não muito improvável) em que o layout dos móveis venha por ventura ocultar todas as quatro manchas.